Resultado da Promoção "1001 usuários, 1001 motivos"

Não foi fácil arrancar os votos dos juízes. As frases eram engraçadas e criativas ^^
Abaixo, na ordem os vencedores da promoção 1001 usuários, 1001 motivos:

3o Lugar

“Tudo começou com a procura de um nome que tivesse impacto, mas as idéias custavam a chegar. Até que em um dia qualquer, um fanho passou conversando ao celular e a única coisa que entenderam foi – Tá ãnluco. Com o humor negro e as risadas escapulindo pela boca tentando adivinhar o que seria a palavra, o nome Taulukko foi criado.”

por Deivide “Elven” Argolo

2o Lugar


“Uma grande força motora da Revolução Francesa foi a facção que os revolucionários chamaram “Jacobinos”. A despeito da visão dos românticos que criam terem sido denominados em homenagem a Jean-Jacques Rousseau, o nome “Jacobinos” designou, originalmente, os componentes do Clube dos Bretões que se reuniam num certo convento parisiense administrado pelos Dominicanos, chamado Convento dos Jacobinos por estar sob as graças de São Tiago (Saint Jacques).
Embora se diga que o nome do mosteiro homenageia uma das versões santificadas do próprio apóstolo Tiago, o fato é que o fundamento do nome está irremediavelmente perdido. Certa minoria clama tratar-se de uma homenagem a Jacobus Demolay, último grão-mestre dos cavaleiros da Ordem do Templo — honraria concebida casualmente por um acólito que a História desconhece, e prestada por alguma casa misteriosa e ainda indefinida entre as multidões fervilhantes de lojas místico-políticas da França oitocentista.
O importante é que tais cavalheiros, como todos os seus colegas, afirmaram possuir técnicas e protocolos secretos oriundos do templo de Salomão, tomado e guardado a sete chaves pelos cavaleiros Templários, e relegado ao esquecimento através dos séculos; a chave destes saberes, acompanhada de inumerável riqueza, está guardada numa caverna ignota, no vilarejo francês de Rennes-le-Château.
Muitos tentaram encontrar o tesouro — alguns inclusive, como o padre Saunière, alegaram ter desvendado sua chave –, porém os meios intelectuais de decifrar o enigma jamais surtiram qualquer resultado.
É sabido, todavia, que um século antes do padre nascer, o acaso levou um pastor dos arrabaldes de Carcassone a tropeçar e despencar numa caverna subterrânea. O homem que saiu como pastor, ao voltar à cidade, estava rico: comprou roupas e propriedades, casou-se e jamais apascentaria uma ovelha novamente — exceto aquela que adotou como mascote, e que batizou, misteriosamente, de uma palavra que não tem similar em sua língua: Taulukko.”

César “ironsand” Rodriguez

1o Lugar


Ao analisar registros históricos, houve relatos de que, em 1835, os portugueses mantinham um prisioneiro indígena que, em pouco tempo, havia aprendido a língua portuguesa. Diziam que seu nome era indecifrável e complicado, mas contava histórias incríveis, com as quais os ouvintes ficavam ávidos e vibrantes. Ele sempre contava as histórias por partes e sempre pedia a opinião das pessoas que ouviam sua narrativa, mantendo assim a história como elas gostariam que fosse.
O imperador Dom Pedro I, muito interessado em tal aborígene, enviou um emissário português, que deveria fazer o relato sobre suas histórias.
Meses depois o emissário voltou, muito abatido e escoriado. Ao ser questionado pelo imperador, disse que o silvícola era incrível e tinha uma habilidade sem igual, mas era louco. Completamente louco! Na primeira noite em que o emissário chegou, o índio iniciou uma narrativa de tirar o fôlego e continuou nos dias que se seguiram. Mas na noite em que prometeu finalizar a história, ele fugiu. Os portugueses enfurecidos e inconformados saíam em busca do índio, entravam na floresta e quando iam gritar o seu nome, lembravam-se de que não sabiam. Então perguntavam uns aos outros sobre o nome do índio. Tal era fúria deles por não saber o final da história, um deles falou: “Não sei! O tal é louco!”. Nisso, o outro que estava com um grupo responde: “então vamos pegar esse tal louco!”. E, em meio a sua narrativa ao imperador, o emissário caiu febril e delirante, prestes a morrer. O imperador correu para perto dele e perguntou: “E então, encontraram o índio?”. O imperador, não obtendo resposta, perguntou de novo: “encontraram o tal louco?!”, mas o emissário já havia morrido.
E daquele dia em diante, o índio ficou conhecido como tal louco, mas com o passar dos anos seu nome foi se difundindo para taulouco, até chegar a tauluco. E como os direitos autorais desse indígena não permitem que criemos um site com o seu nome, adaptamos para taulukko em homenagem a ele.

por Roberval Ruscelino Pereira Pequeno

Congratulações e Agradecimentos

Obrigado a quem participou e parabéns aos vencedores. Os prêmios devem ser enviados em até 10 dias (mais tempo de entrega dos correios). Entraremos em contato em breve =)

3 Comments

  1. Ruscel
    Posted 11 de maio de 2009 at 9:30 | Permalink

    ^^, vocês gostam de mim, vocês gostam mesmo de MIM!!!

    ahahauhauhauahauhauh

    Valeew Galera!

  2. Deivide Elven
    Posted 27 de maio de 2009 at 8:34 | Permalink

    Haha que legal, me tremi todo durante a aula de programação na faculdade.
    Vixi demorei 17 dias para ler o e-mail, muito obrigado por ser escolhido como um dos ganhadores 🙂

  3. Posted 27 de maio de 2009 at 13:27 | Permalink

    Ola Deivide,
    estou aguardando um retorno seu pelo email taulukko@gmail.com para entrega do premio.

    Use o email que você enviou a frase =)

    Abraços e parabéns!

One Trackback

  1. […] O resultado da promoção pode ser visto aqui. Share and […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*